Meu caro amigo


 Meu caro amigo,

Você foi embora e só me deixou o Chico Buarque. Não ficou o perfume, nem a lembrança, nem a saudade do que podia ter sido e não foi. 

Não sobraram apelidos carinhosos, descobri quase todos intoleráveis... Meu bem, amor, gatinha... Essa nunca fui eu e a gente nunca se coube, nem quanto nos pedíamos pra ficar. 

Você foi embora e os textos que ficaram são todos bestas, pouco se salva da minha escrita romântica daqueles dias... Não tem um texto sequer sobre seus olhos ou seu sorriso. Não tem um lugar que seja nosso - ficamos no lugar comum, literalmente.

E não adiantou a formação parecida, nem o signo complementar, nem sermos assunto da terapia um do outro, você foi embora. E eu nem fiz caso, sabe? Segui e tenho poucas memórias daquelas poucas semanas, que pareciam eternas.

A única coisa específica que ficou foi o Chico Buarque, que escuto às vezes. E, dentro desse pequeno hábito de escutar o Chico, raramente ele me remete a você... Tiro o pó de você na minha memória quando o escuto, sabe? Mas, mesmo tirando o pó, você não quer dizer mais nada, e me concentro no que o Chico diz. Geralmente ele fala dos caos de dentro e de fora. Fala que "aqui na Terra 'tao jogando futebol'" e que é "muita mutreta pra levar a situação, e a gente vai levando só de birra, só de graça" e penso em coisas muito mais perto de mim do que você está agora. 

Escuto ele falando que "apesar de você, amanhã há de ser outro dia". E esse "você" não é você faz tempo, se é que já foi. Muitos outros "você" são obstáculos maiores. Obstáculos a coisas maiores. Mais urgentes que minhas memórias empoeiradas, ainda que eu esteja vivendo de passados. E me concentro nesses outros "vocês" e no amanhã, que há de ser outro dia...

O mantra dos nossos dias é "vai passar", meu caro amigo... E espero que passe tão definitivo quanto você passou... Que fiquem algumas músicas... talvez de minha vida de agora fique o Jeneci e o resto passe, também. De você, ficou o Chico. O Chico e mais nada.

Abraço para você e para os teus...

A todo o pessoal e a você, adeus.

🔻

🔻

🔻

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia - FUNCEB (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

0 Comentários

Remetentes